7.06.2011

O Segredo de Mª.


Eu lembro muito bem do som alto sempre que ele chegava feliz em casa, eu rodopiava em volta de mim junto à ele, eu não escapava, ele me atracava assim sem doer, era macio. Eu lembro dele escrevendo no meu corpo sem tamanho cifras com pincel de chumbo que pingava seu negro amor, sorria, - assim é que se faz; ele fazia o que eu não posso contar porque me arrepia a espinha e jamais se esquece. Eu lembro, ele me abusou, acima de tudo, ele me arruinou.

A noite trazia flores pra curar as dores que eu sentia quando o sol nascia todos os dias, era impossível ser dele por toda vida, nosso amor não chegou a durar, nem viver ou valer. Mas precisei aprender a viver em paz com a falta de paz, eu tinha esperança de ser feliz e fui mulher mal amada, de um jeito estúpido, cego e que não diz que não.
Eu vim pelas ruas só pra contar que estou morta, cansada, sofrida, sou resto de fantasia, apesar de ter o que dizer, não discuto com ninguém mais não. Podem me prender eu fiz por merecer. Podem me prender eu matei foi por querer, estava cansada de apanhar sem merecer.





12 comentários:

  1. É duro, mas grande parte das mulheres ainda apanham de seus maridos. É uma realidade dolorosa, cruel.
    Matar quem nos mata aos poucos, é libertação, auto-defesa.
    As feridas marcam a pele, mas causam também um dano catastrófico ao psicológico da gente.
    Apesar disso, ainda acredito que a morte não alivia toda a dor.

    ResponderExcluir
  2. Vou lhe confessar:

    Sempre me emociono ao ler o que escrevem as mulheres sobre o amor, o que elas falam, o que exigem, o que pedem, a costumeira negação que enfatizam com carinhas de bebês amuadas, mas sempre loucas para dizerem sim, e se entregarem mais uma vez sabendo que amanhã, tudo se repetira.

    Que poder é esse que vocês tem, que poder é esse que você conquistou?

    E ainda no terreno fértil das minhas dúvidas sobre vocês (você) eu continuo perguntando:

    Que juiz irresponsável colocaria na cadeia uma assassina que só usa como arma o seu coração?

    E confessa em juri popular, sua última desdita:

    "Podem me prender eu fiz por merecer. Podem me prender eu matei foi por querer, estava cansada de apanhar sem merecer".

    Fala serio!

    Um abração carioca.

    ResponderExcluir
  3. Olá, tudo bem?

    Daria para vc entrar em contato comigo através do email que publico no meu blog Humor em Textos?

    Agradeceria.

    Um abração carioca!

    ResponderExcluir
  4. Lindo e doce, adorei!

    Obrigada pela visita e seja bem vida.

    Até logo :*

    ResponderExcluir
  5. Lembrei de leve do "Te perdoo" do Chico. Então, mulher é capaz de amar assim. Se doar. Mal se querer...

    =/

    *obrigada pela visita no Meninas!

    ResponderExcluir
  6. http://www.artnativa.com/literatura/revelacoes/ (:

    ResponderExcluir
  7. Li e vi no texto uma verdade tão comum...morrer ainda viva...
    Obrigada pela visita, passei para conhecer e vou conhecendo aos poucos.

    ResponderExcluir
  8. Sua escrita continua forte, meio como uma porrada, um forte empurrão, um tranco emocional.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  9. Nossa, amo seus textos, eles são tão verdadeiros, sinto na pele suas palavras, adoro esse blog! obrigada pela vizitinha! bj*
    Ps: Estou tbem no TWITTER :http://twitter.com/#!/hkkatia

    ResponderExcluir
  10. Forte, mas tudo realidade né..

    ResponderExcluir
  11. Oi Diana, tudo bem?
    Menina, achei lindo demais, tem aquela coisa forte, porém delicados.
    Ô menina, que bom.Essa semana eu estarei voltando com mais frequência com o blog, esses dias tava super atribulado, daí já viu, rsrs.
    Bjos menina

    ResponderExcluir
  12. Quando terei mais desse blog?

    ResponderExcluir