3.26.2010

O segredo de A.

Foi por duas décadas o que não gostaria de ser: falou com o invisível, viveu escondido dentro de um quarto, agrediu os que o amavam para se defender, sorriu por nada e pra ninguém, falou coisas sem nexo, tornou-se o melhor amigo de uma mosca, não se apresentou à sexualidade, comeu e bebeu do que escolhiam, cresceu no corpo, minguou no intelecto e manteve-se casto na alma, afugentou a cura por ignorância, desmereceu sua mãe, suas irmãs o escondia, quis viver no outro plano, cobria os ouvidos para não participar da realidade, se isolava por achar que seu mundo interno já lhe bastava, frequentou aulas que não adiantaram em nada, entrou na clínica numa quarta-feira e saiu na sexta, fez uso da metade dos tranquilizantes e antidepressivos existentes no mundo, tentou morrer e não conseguiu, nunca conheceu o amor, suas festas eram em família e quieto num canto qualquer, seu choro sempre foi inaudível e por ele nunca foi entendido, não se via no espelho, reconhecia seus sabores preferidos, mas nunca escolheu o que iria vestir, gostava da TV mesmo sem entender o que ela transmitia, teve dinheiro e nunca gastou, conheceu pessoas iguais-melhores, não conheceu piores, pensava em nada o dia inteiro, palavras repetidas eram as que saiam de sua boca, visitou psiquiatras, psicólogos, analistas, pastores, bispos, nunca um pai-de-santo ou uma cartomante, fugiu da igreja, teve alucinações, via bichos, era perseguido, sem fé por não saber o que é e se soubesse curado seria, talvez, usar camisa de força doeu mais na mãe do que nele, dia e noite dopado permitiu que tivesse sonhos, nestes dias viveu bem melhor, nunca feliz.
A. sofre distúrbios psicológicos desde a infância, distúrbios estes muitas vezes confundidos com possessão demoníaca. Se Deus ou os demônios ouvissem-no ele forçaria a língua, puxaria do fundo das suas cordas vocais o som e imploraria que ambos permitissem sua cura. Enquanto os céus não reagem um anjo vive entre nós sem se acostumar com nossos hábitos, sem aprender nossas mazelas, sem poluir seu coração e engana-se quem acredita que sua vida é em vão.

Deus nos testa de um jeito doloroso, mas recompensa.

3.11.2010